Visiting Choquequirao, 25dec09

(para versão em português, desça a página)

Finally i´ve reached Choquequirao camp (3100m). 32,5km of steep trails hiked in two days since Cachora.

Km 31, 1,5km more till Choquequirao

After i´ve had installed myself at camp site i met few people at Choquequirao. We were around twenty people spending Christmas there. William (agency´s cooker) offered me a delicious pasta and sometime after a quinoa soup. He´s a genius!! I shared my dish with Hendrik and his girlfriend, both from Belgica. They were hungry. They were stollen in a bus in Peru and they lost everything including passport, money, glasses and clothes. In spite of that they continued their travel to Choquequirao. It was Christmas evening and the rangers, leaded by Isaac, offered us hot “cañaso” (drink made with sugar cane).

spider visiting us / "aranha fazendo visitinha"

The day after was first day exploring Choquequirao ruins (3300m). I couldn´t take sunrise pictures that Dante, the astronomer, asked me for because that day was cloudy and Sun didn´t apppear. From camp site we have to hike up the hill around one hour to access Main Square.

It is amazing all those constructions made stone by stone. Some of them two floors buildings. Thick walls and stony rings firmly inserted. Maybe those rings were to mooring something with cords.

rings for mooring / argolas para amarração

The agriculture terraces (“andenes”) could be perfectly irrigated due the water channels network. Certain terraces have inclined walls to support huge weight and all of them are connected with two kind of stairs. First, connect each terrace individually with the one immediately above or below and other kind connect all terraces complex.Actual peruvian agriculturist prefer cultivate in dipping lands, they call “pampas” not flat as incas´terraces.

>100m long terraces / terraços com mais de 100m

For instances, i met guide Roberto with the american group and he gave me interesting information about Incas´ way of life. He also said 60% of Choquequirao complex was rebuild and restored since 1993, however at the highest part of the archeologic complex, we can see some parts that were not restored by government.It seems that all complex were builded in many decades by Incas because we notice different architectural styles through it: stones vertically or horizontally inserted, some parts cemented bricks other not, inclined/straight walls, etc.

"Chachapoyas" style

Finally at 6pm, almost dark night, i´ve found “Las Llamas del Sol” a very nice white rock inserted on the wall terraces that could represent the exodus of inca people with spanish invaders arriving.They are turned to north, Nevado (Apu) Corihuaynachina, i.d., they are directly unlighted during the sunset.It could means that ending of the Inca people was arriving.

It was difficult to find because they are located completely below terraces complex so have to take all stairs down. “Las Lllamas del Sol” is certainly an example of “Chachapoyas” (people from northern part of Peru dominated by Incas) architecture.

"Las llamas del Sol"

During “Tawantinsuyo” construction, the Incas used frequently what they called “mitmaq”, workforce took out from their origin regions transfered to other parts of “Tawantinsuyo” in order to avoid rising. (see below, “Short Inca Civilization History”)

(versão em português)

Finalmente depois de 2 dias e meio de caminhada desde Cachora, por trilhas de subidas e descidas íngremes cheguei a Choquequirao (3100m). Foram 32,5km cumpridos .

Depois de me instalar no camping fui conhecendo devagar as poucas pessoas que estavam alí. Éramos não mais de 20 pessoas passando o Natal em Choquequirao. William (cozinheiro de agência) me ofereceu um massa deliciosa e algum tempo depois uma sopa de quinua com legumes. O cara é um gênio!! Dividi meu prato com Hendrink e sua namorada, ambos da Bélgica. Eles tinham fome. O ônibus em que estavam viajando pelo Peru foi assaltado. Levaram tudo, inclusive roupas, óculos, dinheiro e passaporte. Mesmo assim, continuaram a viagem para Choquequirao. Eles tinham o mínimo. Era noite de Natal e os guardas florestais, liderados por Isaac, ofereceram-nos o “cañaso” quente (um aguardente de cana).

arriving at Choquequirao / "chegando a Choquequirao"

No dia seguinte parti para explorar as ruínas incas de Choquequirao (3300m). Não pude tirar as fotos do nascer do sol que o astrônomo Dante me pediu porque o dia estava nublado e o sol não apareceu pela manhã. Do camping, ainda temos que subir por uma hora até chegar à “Plaza Principal”. É incrível todas aquelas construçoes feitas pedra por pedra. Algumas foram construções de dois andares. Paredes grossas com argolas de pedra enxertadas e presas. Talves estas argolas servissem para amarrar algo com cordas.

rings under the roof (mooring?) "argolas debaixo do telhado (amarração?)"

Os terraços agrícolas(“andenes”) podiam ser perfeitamente irrigados graças à rede de canais de água interligados. Alguns terraços tem paredes inclinadas certamente para suportar o enorme peso e todos eles são interconectados com dois tipos de escadas: Primeiro, uma escada que conecta cada terraço individualmente com aquele imediatamente acima ou abaixo e, outro tipo, que conecta todo o sitemas de terraços. Os agricultores peruanos atuais preferem cultivar nas chamadas “pampas” que são terrenos em declive e não planos como os terraços incas.

aqueduct / "aqueduto"

Em certos momentos, encontrava com o guia Roberto, que estava com dois americanos e ele me dava informações preciosas sobre o estilo de vida inca. Ele me disse também que cerca de 60% do sítio arqueologico de Choquequirao foi reconstruído e restaurado a partir de 1993. Entretanto, na parte alta do complexo podemos ver algumas partes que não foram restauradas pelo governo. Parece que todo complexo foi construído durante décadas porque notamos estilos arquitetônicos distintos: pedras inseridas verticalmente ou horizontalmente, em certos trechos os blocos são cimentados em outros não, paredes inclinadas outras retas, etc.

Finalmente às 6 da tarde, quase noite, encontrei ” Las Llamas del Sol”, 27 desenhos de “llamas” feitos com blocos de pedra branca contrastando com escuras e poderiam representar a fuga do povo inca ante a chegada dos espanhois invasores. Elas estão viradas para o norte, Nevado (Apu) Corihuaynachina, isto é, recebem iluminação solar direta no pôr do sol o que poderia significar o fim da Era do povo Inca.

hole is perfectly done "orifício perfeitamente talhado"

Foi difícil encontrar as “Llamas del Sol” porque estão na parte mais baixa de todo o complexo de terraços então, devemos descer toda a escadaria para chegar lá. Estas 27 “llamas” seriam um exemplo de arquitetura “Chachapoyas” (povo que vivia no norte do Peru e que foi dominado pelos Incas).

Durante a construçao do “Tawantinsuyo” os Incas usavam muito a artimanha política que eles chamavam “mitmaq” que era o deslocamento de enorme quantidade de mão de obra do seu lugar de origem para outras regiões do “Tawantinsuyo” para diminuir a possibilidade de rebeliões. (Veja abaixo: ” Pequena História da Civilização Inca”)

"Las Llamas del Sol"

Advertisements

Liked it?? Leave a comment below what do you think about. Thank you :-) Gostou?? Deixe um comentário abaixo sobre o que você achou. Obrigado.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s