Bolivia 2014 – 2015 – El Choro trek – Day 1: La Paz – La Cumbre – Chukura

(FOR ENGLISH VERSION, SCROLL DOWN)

Ao chegar em La Paz entendi porque havia tão poucas informações quando tentei pesquisar, ainda no Brasil, sobre o acesso aos locais onde começaria a fazer as trilhas. A cidade é um verdadeiro caos no que se refere ao transporte público. Cada cidadão pode colocar uma van (“minibus”) na rua e fazer transporte alternativo pra qualquer lugar que bem entenda. E parece que todos decidiram fazer isso!! Então, organizaram-se várias pequenos terminais (também na rua), onde as vans ficam e seus donos anunciam os trajetos e destinos no grito. O resultado é que ninguém sabe ao certo de qual terminal sai transporte pra qual destino. Alem disso não existe certeza que vai sair e em que horário.

Vans no terminal Minasa / Minasa terminal of vans

Vans no terminal Minasa / Minasa terminal of vans

 

Mas existe também outro motivo: os povoados onde iniciam-se as trilhas são muito pequenos, então realmente não há transporte. Uma solução é chegar o mais próximo possível e depois pegar um táxi já que a Bolívia é um país muito barato.
A ideia inicial era fazer primeiro uma travessia chamada Apolobamba mas depois de um dia de “caça” de informações na cidade, soube que a viagem pra lá desde Nossa Senhora de La Paz (este é o nome oficial da cidade) demorava 11h e que a van saía as 6h da manhã em El Alto , que é uma cidade vizinha à La Paz. Mas que não havia nenhuma garantia que, chegando lá, o van estaria e partiria. De qualquer maneira deixo aqui as informações que consegui (devem ser checadas):

———————

Apolobamba Trek

Minibus para Pelechuco ou Curva – Sai de El Alto – Av. Juan Pablo II (final) – Entre Carretera A Laja y Ex Tranca Rio Seco
tels: 680-74905 / 238-2239 / 719-53252

Outra ótima fonte de informações é o Escritório de Turismo do “Terminal de Buses” (Central). Procure as simpáticas Roxana Caro e Guelli Terrazas (segunda à sabado).

———————

Parti então pra segunda opção que era a Travessia El Choro. Esta muito mais conhecida e perto de La Paz. Aqui as dicas de como chegar ao início da trilha:

———————

Terminal Minasa (bairro Vila Fatima) . Minibus para “Coroico” (cada 30 min.). Desça em “La Cumbre”.

———————

 

 

Em La Cumbre (4800m de altitude) inicia-se a trilha de 71km, onde 90% são descida, até Chairo (1600m de altitude). É uma travessia para 2 noites/3 dias com muitas fontes d´água. Existem alguns povoados pelo caminho onde pode-se encontrar abrigo e comida. Os locais falam língua aymara. Entendem e falam muito pouco espanhol.

 

Paisagem em La Cumbre / La Cumbre landscape

Paisagem em La Cumbre / La Cumbre landscape

 

 

Os primeiros quilômetros são deslumbrantes pois ao mesmo tempo encontramos paisagens de alta montanha e vales profundos, llamas e trilhas de pedras feitas pelos Incas entre 500 e 1000 anos atrás. Os bolivianos chamam trilhas como estas de “Caminos Pré-Colombinos” justamente porque foram muito usadas pelas civilizações andinas antes da chegada de Colombo em 1492.

Pausa na trilha de pedras / A break in the stony trail

Pausa na trilha de pedras / A break in the stony trail

 

Aliás todo ao longo desta travessia “El Choro” observa-se quilômetros de caminhos feitos pelos Incas. Lindamente construídos. Muito mais impressionantes do que eu vi, por exemplo, no Peru. Quando comecei escrever este blog: (https://roottravel.wordpress.com/category/choquequirao-peru-20092010/);

Caminos Pré-Colombinos preservados

Caminos Pré-Colombinos preservados

 

Chukura é o povoado mais “desenvolvido” com, provavelmente, algumas centenas de habitantes, onde há uma escola e outras facilidades como “tienda” (armazém) pra comprar comida. Alguns moradores podem cobrar “pedágio” de 20 Bs (bolivianos) o que equivale a R$ 10. Alegam que é para manutenção dos caminhos.

Mapa El Choro final

Percebe-se que na região de Chukura, e de outros pequenos povoados que passei, a população local se reuniu e realmente restaurou os vestígios de trilhas incas que existiam. Elas estão muito novas e bem conservadas, não podem ter sido construidas entre 500 e 1000 anos atrás e ter permanecido daquela maneira por tanto tempo. Na medida que distancia-se dos povoados voltamos a ver os caminhos como foram feito originalmente, quando os Incas passavam por ali.

Llamas no caminho / Llamas on the way

Llamas no caminho / Llamas on the way

 

Quase no final do primeiro dia percebi que havia torcido o joelho esquerdo na descida pois ele começou a doer muito. Cada passo se tornou uma tortura. Havia passado uns quilômetros do povoado de Chukura e devia ter feito no total, até ali, entre 15 e 20 km. Isto foi me acontecer logo no primeiro dia?!? Como faria pra continuar já que a dor era insuportavel ? Voltar ?

Decidi então parar mais cedo e montar acampamento. Poderia descansar mais tempo e ter esperanças que, no outro dia, a dor teria passado e, assim, continuar. Faltavam mais de 50km até o final !!

 

 

ENGLISH VERSION

Arriving in La Paz i could understand why i´ve found so poor information, still in Brazil, about the access to localities where treks start in Bolivia. La Paz is a chaos regarding to public transportation. Each citizen can buy a van (“minibus”) and start a service of alternative transportation of people to wherever he wants. And it seems everyone decided to do it !! Then they also self organized several van´s street terminals where the owners announce shouting the itinerary and destination. So, nobody knows exactly from which van station transportation leaves to a specific destination and the schedule.

But there is another reason as well: settlements where treks start are often really small, so there are no transportation at all to there. A solution is to get as close as possible by public transportation and then rent a taxi since Bolivia is a really cheap country.

Casas provavelmente no mesmo estilo de séculos atrás / Local house probably built the same way for centuries

Casas de pedra e palha provavelmente no mesmo estilo de séculos atrás / Local houses made by stone and straw probably built the same way for centuries

 

The initial plan was trekking in Apolobamba range but after one day in La Paz searching for official info i knew that a trip to there from Nuestra Señora de La Paz (that´s official city name) lasts eleven hours and the van leaves at 6 am from El Alto, a  city next to La Paz. But it was not sure at all that van would be there and leave… Anyway, i write here below the information i´ve got (it must be checked):

———————

Apolobamba Trek

Van to the villages “Pelechuco” or “Curva” – leaves from El AltoAv. Juan Pablo II (final) – Between Carretera A Laja y Ex Tranca Rio Seco
tels: 680-74905 / 238-2239 / 719-53252

Another great information source is the Tourism Office inside “Terminal de Buses” (Central Bus Station). Ask for the charming Roxana Caro or Guelli Terrazas (Monday to Saturday).

———————

I decided for my second option that was El Choro trek. It is a better known trek and easier access from La Paz. Here tips how to get close to the beginning of the trail:

———————

Terminal Minasa (neighborhood Vila Fatima) . Van to “Coroico” (each 30 min.). Get off at “La Cumbre”.

———————

At La Cumbre (4800m high) starts the path of 71km (44 miles) – where 90% is descent – till Chairo (1600m high) . It is a 2 night/3 days trekking with plenty of fresh water sources. Even if you can walk for days without seeing a single person there are few villages on the way where you can find lodge and food. Local people speak aymara language. They understand and barely speak spanish.

Lago de alta montanha em La Cumbre / Highland lake in La Cumbre

Lago de alta montanha em La Cumbre / Highland lake in La Cumbre

 

First miles are astonishing. Wonderful highland landscapes, deep valleys, llamas and stony Inca trails made between 500 and 1000 years ago. Bolivians call them “Caminos Pré-Colombinos” because they were built and used by andean people before Christopher Columbus arriving in 1492.

Paisagens deslumbrantes / Amazing landscapes

Paisagens deslumbrantes / Amazing landscapes

 

In fact, all along El Choro trek there are many miles of Inca´s paths greatly built. More impressive than those i saw, for example, in Peru when i started writing the blog, here: (https://roottravel.wordpress.com/category/choquequirao-peru-20092010/);

Chukura is the more “developed” village with , probably, hundreds of people living where there is a school and other facilities such small shops at locals´ homes to buy food.

IMG_8426

Certains inhabitants could ask you a “toll” of 20Bs.(bolivianos, is the bolivia currency). It is around US$ 3. They say that will be used for trails maintenance.

Around Chukura and other small settlements we can really notice that local people have got together and restaured Incas´trails because they are really like new. Very well conserved for a 500-1000 years old construction. Since we get far from villages we notice original paths as they were built when Incas passed by.

Caminhos Incas provavelmente restaurados por moradores / Incas´trails probably restaured by inhabitants

Caminhos Incas provavelmente restaurados por moradores / Incas´trails probably restaured by inhabitants

 

In the end of first day i´ve notice i´ve got my left knee torsioned somewhere in the descent because he started hurting a lot. Each step seemed to be a torture. I´ve passed few miles of Chukura and probably walked between 9-12 miles. It happened in the first day ?!? How to continue since pain was unbearable ?? Come back ?

I decided then stop earlier, camp and rest longer hoping next day pain would be gone and then i could persist. I had around 30 miles ahead !!

IMG_8456

 

 

Advertisements

Liked it?? Leave a comment below what do you think about. Thank you :-) Gostou?? Deixe um comentário abaixo sobre o que você achou. Obrigado.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s